Lista 40 Esportes Radicais mais praticados no mundo

A lista de esportes radicais mais radical que você já leu. Fizemos um estudo aprofundado desses esportes praticados por pessoas com níveis consideráveis de adrenalina. A maioria dos esportes radicais são antigos e você vai conhecer também muitos recordistas que deixaram seus nomes para que pudéssemos analisar que o ser humano é capaz de romper barreiras e desafiar limites.

Vivamil Brasil 9 de maio de 2019 Esportes

A lista de esportes radicais mais radical que você já leu. Fizemos um estudo aprofundado desses esportes praticados por pessoas com níveis consideráveis de adrenalina.

A maioria dos esportes radicais são antigos e você vai conhecer também muitos recordistas que deixaram seus nomes para que pudéssemos analisar que o ser humano é capaz de romper barreiras e desafiar limites. Vamos começar, respire fundo e boa leitura. Ah, ordenamos tudo de A a Z, caso você queira reler algum item específico:

1.) ABSEILING / RAPEL

Parece fácil, mas cruzar penhascos não é uma tarefa fácil e nem tampouco segura. Também conhecida como Rapel, o Abseiling é uma queda vertical assistida por uma corda. É muito comumente utilizada por alpinistas e montanhistas e suas técnicas são registradas desde 1840.

Um dos maiores desafios da escalada é o Monte Everest, a maior montanha do mundo com 8.848 metros. Foi escalada pela primeira vez em 1953. O nome Everest é em homenagem ao geógrafo britânico George Everest. Um dos maiores alpinistas do Brasil é Waldemar Niclevicz e foi o primeiro brasileiro a escalar o Everest.

2.) ALPINE SNOWBOARDING / ALPINE SKIING / ESQUI ALPINO

Ao pé da letra, podemos traduzir como Esqui Alpino. Este é um esporte dos Jogos Olímpicos de Inverno desde 1936. Este é um esporte radical antiguíssimo e sua história registra treinamentos militares usando esqui em 1760. Já foi considerado meio de transporte durante o século 18. Este esporte se torna radical quando se alia a técnica inclinação versus velocidade. FIS World Cup e Jogos Mundiais de Inverno são categorias que abrigam os melhores esquiadores do mundo. De um modo geral, o esqui competitivo é dividido em duas modalidades sendo:

Corridas: que abrangem slalom, slalom gigante, slalom super gigante, combinada e em declive.

Esqui de estilo livre: incorporando eventos como magnatas, antenas, halfpipes e skicross.

Para fechar sobre o Esqui Alpino (Alpine Skiing), segundo dados do site Ski Resort, existem aproximadamente 60 mil quilômetros de pistas de esqui em todo mundo e as estações somam mais de 23 mil teleféricos em quase 5.500 estações.

A mais avaliada pista é a da Kitzbühel na Áustria. A Les Trois Vallées, na França, é maior área esquiável do mundo e oferece mais de 600 km de pistas. A maior altitude fica na China, num lugar chamado Shanzidou (Montanha de Neve Dragão de Jade) e registra picos de até 4.700 metros de altura. Esse é o esqui alpino.

3.) ASA DELTA / HANG GLIDING

Imagine um avião feito de tecido de poliéster na qual você faz um vôo livre sobre penhascos. A Asa Delta nada mais é do que uma pipa gigante que suporta o peso de humanos.

Otto Lilienthal construiu os primeiros planadores em 1890. Os recordes deste esporte radical são registrados por Dustin Martin – maior distância percorrida – e Judy Leden – maior altutide alcançada. Para não haver confusão, planadores, asa delta e parapente tem algo em comum, mas são diferentes na questão dirigibilidade.

4.) BAREFOOTING / ESQUI DESCALÇO

É o tal do surfar com as próprias pernas. Surgiu em 1947 na Flórida, Estados Unidos. Este esporte radical tem particularidades que tornam a prática técnica.

Os atletas usam bermudas especiais acolchoadas e capacetes aerodinâmicos para criarem manobras insanas com pés descalços. Isso é Barefooting.

5.) BLOBBING

Imagine um inflável gigante instalado no meio de um lago em que há uma pessoa em cada extremidade pulando para que a outra salte e vice-versa. Quanto mais pesado for o “jumper”, maior será a decolagem. Blobbing é um esporte radical de verão muito popular em alguns lugares dos Estados Unidos.

Blobbing é derivado de “blob” que é uma palavra utilizada para descrever os tanques flutuantes de combustíveis militares.

6.) BIG MOUNTAIN SKIING / ESQUI DE GRANDES MONTANHAS

Ainda falando de esqui, existe essa modalidade de esporte radical chamada BIG MOUNTAIN SKIING em que o atleta é levado ao topo de uma montanha, geralmente de helicóptero, e de lá despencam ladeira abaixo sendo muitas vezes perseguidos por avalanches. Essa modalidade é para os esquiadores não tradicionais que se desafiam em velocidades altas sob terrenos acidentados e em declive.

O esquiador de Big Mountain considerado pela imprensa como lendário é o americano Chris Davenport, pois é dono de inúmeros títulos e conquistas, incluindo o Pico Everest. Além de esquiador, Chris Davenport é ícone fora da profissão como comentarista, autor, treinador, empresário e protagonista em 36 filmes. Segundo as regras do FSV (France Ski de Vitesse ) em Vars, França, em 26 de março de 2016, o recorde mundial de velocidade pertence ao italiano Ivan Origone (incríveis 254,98 km/h) e a também italiana Valentina Greggio, que atingiu incríveis 247 km/h.

7.) BMX (BICYCLE MOTOCROSS)

Você já deve ter ouvido falar que essa palavra descreve aquelas bicicletas menores em que o pessoal manda umas manobras radicais avassaladoras. Na verdade BMX é a abreviatura de Bicycle Motocross e começou quando ciclistas se apoderaram de pistas de motocross para realizarem manobras por diversão. Com isso surgiram as bicicletas especializadas ainda na década de 70 no Sul da Califórnia, Estados Unidos.

Na Europa a BMX explodiu nos Anos 80 no Reino Unido e marcou o início do freestyle e uma mudança visual que tirava os cromados, dando lugar à componentes azul e vermelho contrastantes. BMX tomou uma proporção muito grande ao ponto de estrear como modalidade olímpica nos Jogos de Pequim 2008 por ser uma das disciplinas de ciclismo mais rápidas e mais jovens. Seu princípio é simples: oito corredores competem em uma pista repleta de obstáculos e curvas fechadas.

Em Pequim, a pista do velódromo de Laoshan tinha 370 metros de comprimento para os homens e 350 metros para as mulheres. Os primeiros medalhistas foram o letonês Maris Strombergs e a frnacesaAnne-Caroline Chausson.

8.) BOBSLEDDING / BOBSLEIGH

Um esporte de inverno praticado numa espécie de trenós que surgiu em 1848 na Suiça. Equipes de duas a quatro pessoas percorrem uma pista congelada inclinada, estreita e torcida num trenó onde o combustível principal é a força da gravidade.

Os trenós modernos são feitos de metais leves e chegam a 3,80 metros de comprimento. Para guiar este trenó de Bobsledding basta movimentos sutis em anéis de metal que são capazes de guia-lo à 130 km/h. O Bobsledding é um esporte olímpico desde 1924.

O recorde mundial para a maior velocidade já registrada para um Bobsleigh em uma competição legítima foi feito por 4 homens da Letônia em competição válida pela FIBT Bob & Skeleton World Cup. No momento mais rápido da descida, o Bobsleigh atingiu a velocidade de 153 km/h. De acordo o Teams on Tour, um modelo de Bobsled já registrou 201 km/h de velocidade máxima.

Em números divulgados em 2019, existem 16 pistas de Bobsledding no mundo sendo a maior delas em Sochi, Rússia, com mais de 1.800 metros de extensão.

9.) BUNGEE JUMPIMP

Tudo começou na Ilha de Vanuatu quando a comemoração da colheita de inhame previa um salto de uma torre de 30 metros de altura apenas com os tornozelos amarrados por um cipó.

Em 1954 as técnicas milenares foram estudadas pela National Geographic e foram consideradas avançadas. A partir daí desenvolveu-se a prática e existem registros de 1987 quando neozelandês Alan John Hackett saltou da Torre Eiffel em Paris e deixou todos sem palavras.

A partir de então, o Bungee Jumping passou a disseminar pelo mundo e ganhar muitos adeptos. O maior recorde de salto vai além de um número. O inglês Simon Berry não só saltou de 73 metros como tinha uma bolacha na mão e a colocou dentro de uma xícara de chá quando a corda do Bungee Jumping atingiu a extensão máxima. O recorde foi homologado pelo Guiness Book em novembro de 2016.

10.) CLIFF DIVING / MERGULHO DE CLIFF

Muito comum na Itália, Irlanda, Portugal e Grécia, aventureiros dos esportes radicais saltam de falésias de até 27 metros de altura, combinam acrobacias de indução e mergulham na água. Bater a cabeça na água nessas alturas seria como ir de encontro a uma parede de concreto. Não há espaço para erro.

Para se dar bem, não há como deixar de ser um mestre e utilizar com perfeição as decolagens de cinco grupos básicos de mergulho como: frente, traseira, handstand, inward e reverse. O Cliff Diving foi criado pelo Rei Kahekili em 1770 nas Ilhas Havaianas e é considerado o esporte radical mais antigo do mundo sem uso de equipamentos.

11.) CROCODILE BUNGEE / SALTO EM LAGO COM CROCODILOS

Não basta pular de uma altura considerável. Tem que pular num lago infestado de crocodilos espertos e felizes para que o pulo do atleta dê errado para fazerem a festa. Bem, difícil imagina, mas tem gente que já pulou, teve de nadar com os monstros e saiu com vida.

Em 2012, a australiana Erin Langworthy saltou de 111 metros da ponte das Cataratas Vitória (Zâmbia, Continente Africano) e o cordão partiu-se em dois. Nadou entre crocodilos com os pés amarrados na corda e teve uma recuperação conturbada que custou enorme quantidade de hematomas e fratura da clavícula. Por incrível que pareça, o lugar é super popular para saltos e ao menos 50 mil turistas praticam essa atividade por ano. Que coragem não?

12.) DOWNHILL MOUNTAIN BIKING

Uma descida de montanha de bicicleta, ou melhor, uma descida frenética de uma montanha com percursos extremamente acidentados onde ciclistas a bordo em suas montain bikes pedalam para descer o mais rápido possível. Esta modalidade surgiu na década de 70 na Califórnia, Estados Unidos.

No Brasil existe a modalidade urbana chamada de Downhill Urbano (DHU) onde uma das etapas oficiais do Circuito Mundial acontece na Descida das Escadas de Santos, cidade de Santos-SP. O recorde mundial de velocidade foi registrado pelo atleta austríaco Markus Stöckl que aos 43 anos desceu uma ladeira de 1.200 metros em um piso acidentado do Deserto do Atacama no Chile e cravou 167,8 km/h.

Para efeitos de quebra de recorde, o francês Éric Barone atingiu 223,2 km/h sob a neve, porém em bicicleta projetada. Barone é um ciclista extremamente radical e já fez Downhill Mountain Biking descendo vulcões como Monte Fuji (Japão) e outros muito mais na Itália, Havaí e México.

13.) DOWNHILL SKATEBOARDING / DOWNHILL SLIDE

É um skate longboard que desde ladeiras desafiando qualquer linha de morte, gravidade e medo. Tudo começou com os surfistas havaianos que criaram os primeiros skates nos anos 60 por frustração durante os dias de más condições de ondas.

Nos anos 70 surgiram os skates longboard e nos anos 90 o mundo conheceu em massa esta modalidade. Tom Sims é conhecido por ser o criador dos skates longboard que decolou em 1977. Imagine descer ladeiras sob um skate em velocidades que passam dos 120 km/h? Em agosto de 2016 o atleta americano Kyle Wester cravou incríveis 143,89 km/h e registrou o recorde mundial de velocidade reconhecido pelo Guiness Book.

O Brasil é palco de trechos famosos de Downhill Skateboarding. Esta modalidade é a gravidade extrema do skate e seus acidentes costumam ter proporções desagradáveis.

14.) DRONEBOARDING

É a tecnologia proporcionando aventuras radicais incríveis. Surgiu na Letônia quando engenheiros desenvolveram um drone gigante de 3 metros de comprimento e 16 hélices giratórias com a finalidade de puxar pessoas e contribuir com o salvamento.

Os drones arrastam simultaneamente dois snowboarders que andam numa velocidade média de 60 km/h e suportam até 145 kg.

15.) ENCIERRO / CORRIDA DE TOUROS

Também chamada em inglês de RUNNING OF THE BULLS, a adrenalina sobe quando um grupo de gados é solto num percurso de ruas de cidade e centenas de pessoas entram no mesmo trajeto para correr dos gados.

A mais famosa Corrida de Touros acontece em Pamplona com transmissão em canal público de televisão há mais de 30 anos. Todos os anos, entre 50 e 100 pessoas são feridas durante a batalha e muitas vezes saem do local levadas em ambulâncias. Em que pese o acúmulo de ferimentos, os números registram 15 mortes na competição desde 1910.

Em Ballyjamesduff, na Irlanda, um evento anual de menores proporções é realizado da mesma forma só que com porcos e se chama Pig Run. Lembra bem um encierro, mas com porcos em vez de touros. Ainda dentro do contexto, na cidade de Rangiora, Nova Zelândia, acontece anualmente uma Corrida da Ovelhas onde aproximadamente 2000 ovelhas são soltas na rua principal da pequena cidade agrícola.

16.) ESCALADA NO GELO / ICE CLIMBING

Este esporte radical é insano porque as pessoas se atrevem a escalar formações de gelo maciças, cachoeiras congeladas ou montanhas cobertas de neve. Segundo site A história da escalada de gelo (Ice Climbing) começou em 1912 na Itália e as competições oficiais também começaram na Itália, mas somente em 2002.

Estima-se que logo esta modalidade se integre aos Jogos de Inverno. Uma das façanhas da Escalada no Gelo é destacada no pico Matterhorn (North Face, Suiça). Essas montanhas inspiram a logo do famoso chocolate Toblerone, mas muito além disso, existem atletas que escalam essa montanha repleta de gelo e perigo, pois é considerado o trajeto mais perigoso e mortífero dos Alpes. Existe número aproximados de 500 mortes neste trajeto desde 1865, então é possível imaginar o quanto é arriscado.

O montanhista suíço Dani Arnold é o recordista mundial desta montanha famosa e escalou o pico em 1 hora e 46 minutos. São 4.478 metros acima do nível do mar, ou seja, um paraíso que está reservado para quem nasceu para correr riscos.

17.) ESQUI ESTILO LIVRE / FREESTYLING SKIING

É um snowboard ou esqui na qual o atleta tem que saltar rampas e fazer manobras, valendo até passar por cima de árvores. As acrobacias são comuns desde 1930. A Federação Internacional de Esqui (FIS) reconheceu o esqui freestyle como um esporte em 1979 e a primeira copa mundial ocorreu no ano seguinte.

Segundo dados publicados pelo Blog The Clymb, o americano Torin Yater Wallace é considerado um dos melhores esquiadores de freestyle do planeta. Torin também é o medalhista mais jovem da história dos Jogos de Inverno X-Games e se tornou a primeira pessoa a fazer uma manobra interruptor 1080 durante uma competição.

Simon Dumont é um esquiador conhecido por deter recorde mundial de quarter-pipe, manobras feitas numa altura superior a 35 metros de altura, ou seja, podemos imaginar esse atleta praticando manobras saindo do chão e saltando um prédio de 11 andares.

18.) FREERIDING COM BICILETA MOUNTAIN BIKE

Enquanto o Downhill Mountain Bike está focado em velocidade em terrenos acidentados, a modalidade FREERIDING está direcionada às características e técnicas de trilha em terrenos que combinam obstáculos para desenvolver agilidade, amplitude, controle, estilo e velocidade.

Esta é uma modalidade do evento X-Games e estreou em 2013 na Alemanha. Não há definições e regras, mas prevalecem as habilidades de pilotagem mais agressivas, pois os terrenos são propícios às quedas.

19.) HALF PIPE / VERT RAMP

São rampas verticais onde atletas usam bicicletas, skate, BMX ou até snowboards para fazerem manobras radicais de desafiar a gravidade. Começou em 1975 na Califórnia quando Tom Stewart viralizou quando foi apresentado pela Revista Skateboarder e se tornou benchmarking para muitos projetos até hoje.

A Vert Ramp está presente em um dos maiores eventos de Skate do mundo como Broadmasters, The Tampa Pro, X Games e outros. Na mesma linhagem da HALF PIPE/VERT RAMP existe a SUPERPIPE que é uma estrutura gigante de Half-Pipe contruído em neve com paredes de quase 7 metros.

20.) HIDROFÓLIO / BARCO SENTADO

Ao contrário do Wakeboard (Esqui Aquático), o Hidrofólio é uma prancha que apoiada por asas que reduzem o arrasto da água. Também chamado de Aerobarco Sentado, o atleta senta-se sob a prancha e é fixado por um cinto de segurança, possibilitando assim um vôo suave sob a superfície da água.

Esta modalidade foi criada em 1960 pelo engenheiro aeronáutico Walter Woodward. Pilotos avançados no Hidrofólio costumam ser rebocados numa velocidade média de 32 km/h.

21.) HIGHLINING / SLACKLINE

É simplesmente um slackline, uma corda bamba na qual o atleta passa de um lado para outro. Mas nada é tão simples assim se estamos falando de esportes radicais. Os aventureiros vão ao limite e instalam estas cordas nos topos das árvores, edifícios e montanhas. Em caso de erro, as quedas são inevitáveis, mas são seguramente presas por arnês.

O esporte surgiu nos Estados Unidos nos anos 80 nos Campos de Escalada do Vale de Yosemite. No Brasil, este esporte foi disseminado a partir de 2010 no Rio de Janeiro. Trinta dos melhores slackliners do mundo se reuniram em setembro de 2018 no Círculo Ártico na Noruega para montarem um slackline estrondoso de 2.800 metros de linha.

Quatro deles completaram o percurso andando 100% na linha e cada um levou em média 2 horas e meia para finalizar. São eles: Quirin Herterich (Alemanha), Friedi Kühne (Alemanha), Samuel Volery (Suíça) e Lukas Irmler (Alemanha).

Dentre outros recordes citamos Niklas Winter, que andou numa corda de 15 metros, mas estava a 1.800 metros de altura sendo sustentados por dois balões de ar quente na Espanha. O alemão Alexander Schulz registrou o recorde de slackline urbano ao caminhar 217 metros sob uma corda que estava a 246 metros de altura no México.

22.) ICE CROSS DOWNHILL

Uma corrida radical que combina hóquei e patinação de velocidade. Imagine quatro pessoas usando patins correndo por uma pista de gelo em alta velocidade em colinas íngremes, curvas apertadas e distribuição de manobras e saltos que desafiam a gravidade.

A regra é clara, vence quem chegar primeiro, ou seja, tem que chegar inteiro. Os eventos mais expressivos da atualidade é o Crashed Ice e Riders Cup. Os campeonatos mundiais deram início em 2009 em Lausanne na Suiça. Segundo informações do site Edmonton Sun, o recorde de salto mais longo foi estabelecido em Munich na Alemanha em 2016, atingindo a marca de 27 metros.

Os eventos são marcados por ter um público de até 70 mil pessoas de forma presencial, sem contar os telespectadores que assistem em telões como o da Jasper Avenue e Sir Winston Churchill Square.

23.) KITING / KITESURF

Ambos nomes são denominações para esse esporte radical. A matéria-prima do Kiting ou Kitesurf é o vento, pois é conduzido por um atleta montado numa prancha e guiado por uma pipa gigante. Quando utilizado na água denomina-se Kiteboarding.

É um esporte bem difundido. Em 1977 o holandês Gijsbertus Adrianus Panhuise é considerado o fundador por patentear o Kitesurfing. O maior salto registrado é o de Nick Jacobsen, recorde mundial registrado em 19 de fevereiro de 2017 na Cidade do Cabo, África do Sul, que o levou a mais de 28 metros de altura, o equivalente a quase um prédio de 10 andares.

O recorde mundial de velocidade é do francês Alex Caizergues que alcançou incríveis 107 km/h sobre a água.

24.) MERGULHO / SCUBA DIVING

O que o mergulho faz aqui? Sim, alguns podem considerar este como não sendo um esporte radical mas listamos aqui o “super mergulho” denominado em inglês Scuba Diving onde as pessoas se submetem à profundidades além dos 100 metros.

A partir daí amigos e amigas, não há chance de erros, pois a sustentação de vida nas profundezas das águas é apostada num balão de oxigênio. Imagine então quais criaturas marinhas não nadam abaixo dos 100 metros!

25.) MOUNTAIN BOARDING

Esse esporte radical também é chamado de Off-road Boarding ou Dirtboarding. A rapaziada monta numa prancha equipada com 4 rodinhas e mecanismos de direção e encara descidas montanhosas em terrenos sempre acidentados, utilizando técnicas de snowboarding e downhill. Surgiu em 1992 nos EUA, Reino Unido e Austrália.

26.) PARAQUEDISMO

Esse é um tradicional muito conhecido entre os brasileiros. O paraquedismo consiste em queda livre com auxílio da gravidade e controle de velocidade com uso de paraquedas. O primeiro salto da história foi feito pelo balconista francês André-Jacques Garnerin, o inventor do paraquedas, quando saltou de uma altura de 980 metros em Paris.

O paraquedismo é amplamente considerado como esporte radical devido a muitos riscos envolvendo a queda. Embora seja de alto risco, as fatalidades são raras. As forças armadas modernas usam o paraquedismo para operações especiais com suprimentos aerotransportados.

Os bombeiros florestais americanos, conhecidos como “smokejumpers” usam o paraquedismo para combater incêndios, em especial nas áreas remotas e de difícil acesso. O maior salto de paraquedas da história aconteceu em 2014 pertence ao americano Alan Eustace que saltou de uma altura de 41.000 metros. O site WNY SKydiving aponta que os atletas de paraquedismo são os mais felizes do mundo.

27.) PARAPENTE / PARAGLIDING

É o mesmo conceito utilizado na asa delta, todavia com certo tipo de paraquedas e até certos tipos de hélice. Os Parapentes atingem grandes altitudes e podem planar por muito tempo.

O parapente foi criado em 1978 no Parachute Club d’Annemasse (França) quando precisou ser utilizado em treinos de paraquedistas que buscavam melhor precisão de aterrissagem sem a necessidade de utilizar um avião. É um esporte radical que desafia a força da aceleração.

28.) PARASAILING / VÔO DE PARASAIL

É também um esporte oferecido maiormente em áreas de recreação praianas mas não deixa de ser um esporte radical. Imagina você flutuando numa altura equivalente a um prédio de 25 andares sendo puxado somente por uma corda?

O vôo de Parasail em San Andrés (praia famosa da Colômbia), por exemplo, leva os aventureios à um passeio com altura de 120 metros. Esse formato de esporte surgiu em 1962, inventado pelo francês Pierre-Marcel Lemoigne.

29.) POWERBOCKING

É uma forma de fazer acrobacias com uma perna de pau de alumínio repleta de molas elásticas. Estes materiais foram utilizados como expressão artística em uma das cerimônias das Olimpíadas de Pequim de 2008. O Powerbocking foi difundido nos Estados Unidos mas há registro de prática de acrobacias com saltitantes com molas desde o século 19.

30.) PARKOUR

É um esporte radical originado em treinamentos militares e usa movimentos múltiplos para saltar sob obstáculos, sendo a maioria das práticas em territórios urbanos. Criado na França por David Belle no final dos anos 80, o Parkour foi batizado de Yamakasi e ganhou popularidade a partir do ano 2000 através da influência de filmes como Casino Royale (2006), Freerunner (2011), O Legado Bourne (2012), Traçadores (2015) e muitos outros.

O Parkour é praticado sem equipamentos e os atletas normalmente treinam vestindo roupas casuais leves. O Parkour também tem ligação com a Pliometria, que é a prática de exercícios nas quais os músculos exercem força máxima curto espaço de tempo. Os saltos pliométricos são muito comuns nos treinamentos dos fuzileiros navais americanos.

31.) RAFTING

Usando um bote inflável para navegar sob as ondas de água doce, o Rafting também ultrapassa as barreiras das cachoeiras e águas correntes turbulentas. É muito utilizado em equipes que se juntam para descer as corredeiras. No Brasil é muito popular esta categoria e existem diversos lugares em muitos estados para a prática.

A primeira viagem de Rafting foi registrada em 1940 por Clyde Smith nos Canyons do Rio Snake, Estados Unidos. É considerado um esporte radical que promove o ambientalismo, pois ajuda no desvio da irrigação e geração de energia hidrelétrica. Existem também o Packrafting, que são os infláveis para apenas uma pessoa.

32.) SKATE / SKATEBOARDING

Aquele esporte radical em que a prática, se duvidar, começa desde os 3 anos. O skate é um esporte convidativo, pois desde criança instiga às manobras. Existem graus de dificuldades diferentes e todo movimento é arriscado. Até o melhor do mundo arrisca cair em competições oficiais, mas levantar e tentar novamente faz parte do processo.

Segundo publicação do Digital Journal, a indústria do Skate movimentou mais de 150 milhões de dólares em 2018 tendo os EUA 32% deste mercado. É um esporte que surgiu no final da década de 40 ou início dos anos 50. Existem mais de 100 nomenclaturas de manobras de skate e incluem os famosos “flips, slides, lips, grind e/ou freestyle” e fazer todas elas exigem alguns tombos até chegar num nível de competição.

33.) STREET LUGE

É um trenó em que o atleta fica praticamente deitado e com a cabeça inclinada e ladeira abaixo em pista pavimentada. Se traduzirmos do português seria Luge de Rua, o Street Luge surgiu na Califórnia, Estados Unidos, quando os atletas inventaram de descer ladeiras deitados em skates normais. Em 1975 a US Skateboard Association organizou a primeira corrida onde o ganhava quem obtive a maior velocidade.

O termo “luge” foi utilizado para descrever que o esporte se praticaria deitado. Em setembro de 2016 o piloto americano Mike McIntyre cravou 164,12 km/h e registrou o recorde mundial de Street Luge da história. Esses números astronômicos colocam este esporte radical como um dos mais rápidos de gravidade do mundo.

34.) SURF

Se equilibrar sob uma prancha e surfar ondas de até 15 metros é algo para os loucos do esporte. Além disso, muitos surfistas nadam em territórios de tubarões e aumentar o nível de adrenalina. O surf surgiu na Polinésia e por volta do início do século 20 os havaianos o estabeleceram como esporte, desenvolvendo a cultura do surf em países como Estados Unidos e Austrália.

Os principais campeonatos são listados a partir de 1959 em Huntington Beach, Califórnia. Nos últimos ano o Brasil tem se destacado no surf mundial colocando diversos atletas entre as referências mundiais, incluindo títulos em diferentes categorias.

No dia 8 de novembro de 2017 o surfista brasileiro Rodrigo Roxa foi para o Guiness Book porque registrou a maior onda já surfada durante toda história. Foi na Praia do Norte, Portugal, que Rodrigo Roxa surfou uma onda de 24,38 metros, o mesmo que um prédio de aproximadamente 8 andares. Esses dados são de acordo com a Liga Mundial de Surf (WSL).

35.) VOLCANO BOARDING / DESCIDA DE VULCÃO

Bem, vulcão é algo magnífico se apreciado de uma distância bem considerável, pois sendo ele ativo ou não é uma maravilha da natureza muito perigosa. Entretanto, alguns extremistas dos esportes radicias resolveram descer vulcões no país da Nicarágua numa prancha especial feita de metal e com suporte de corda. O aventureiro usa um macacão especial, óculos e luvas, todavia qualquer erro pode ser fatal ou custa umas raladas que não levam só a pele mas sim um pedaço de carne humana.

36.) WAKEBOARDING / ESQUI AQUÁTICO

Este é um esporte bem popular em diversas partes do mundo e normalmente é oferecido em ambientes recreativos. A arte do Wakeboarding é realizar manobras acrobáticas sob uma prancha que é rebocada por uma embarcação. Esse esporte é um tanto contestado por geral impacto ambiental como ruídos e perturbação contra a vida selvagem. Há registros de eventos desde 1967 e a modalidade faz parte dos World Games (Jogos Mundiais) desde 2001.

37.) WATERFALL KAYAKING OU WHITEWATER KAYAKING

É você a favor das correntezas dos rios e, já sabe, todo rio corrente desaba em cachoeiras ou cascatas gigantescas. Imagine você descendo esses rios abaixo a bordo de um caiaque de plástico e despencando numa cachoeira de 30 metros, o mesmo que descer em queda livre um prédio de 10 andares?

Pois então pasme, o recorde mundial de queda livre numa cachoeira pertence ao americano Tyler Bradt. Esse caiaquista profissional fez história no dia 21 de abril de 2009 quando despencou das Quedas de Palouse (Palouse Falls, Estados Unidos) de uma altura de 57 metros ficando assim registrado o recorde mundial.

O caiaque é a evolução da canoa e achamos informações de que ele existe há mais de 400 anos, pois estão expostos num Museu em Munique Alemanha algumas peças datadas de 1577. Em 1933, Adolf Hitler se envolver em clubes de caiaque e isso foi um motivo para o esporte ganhar proporções enormes.

38.) WINGSUIT / TRAJE PLANADOR

É como se fosse um macacão com asas em que os atletas se tornam paraquedistas de alta performance. Os primeiros Wingsuits surgiram na década de 30. Em 2007 um “bird-man” brasileiro chamado Luigi Cani saltou de helicóptero acima do Corcovado e fez um vôo emocionante nesta região do Rio de Janeiro.

Existe também o Wingpack feita de outro material e que aumenta a eficiência do vôo em relação ao tradicional Wingsuit. É uma experiência que requer muito treino, uma vez que nesta modalidade os atletas sobrevoam penhascos, canyons e florestas em velocidades de até 180 km/h. Como todo esporte radical, um erro é fatal.

39.) XPOGO

Imagina um pula-pula na qual as pessoas aperfeiçoaram para saltarem perto dos 3 metros de altura! O XPOGO é realmente um esporte radical extremo e já foi utilizado em comercial de empresa esportiva para veicular durante as Olimpíadas de Londres em 2012.

A maior parte dos atletas são homens. XPOGO surgiu nos Estados Unidos em 1999 e vem ganhando atualmente milhares de seguidores. O principal evento da competição chama-se Pogopaalooza, que nada mais é do que o Campeonato Mundial de XPOGO.

O recordista mundial de XPOGO é o russo Dmitry Arsenyev com suas duas marcas reconhecidas pelo Guiness Book de 2018. O maior salto já registrado na história foi o do Dmitry e ultrapassou a barreira dos 3,4 metros de altura.

40.) ZORBING

Imagina uma bola inflável gigante onde as pessoas estão dentro dela descendo colinas e ladeiras abaixo. O Zorbing é um esporte radical originado na Nova Zelândia em 1994.

O Guiness Book registra o passeio mais rápido já feito por uma pessoa que foi realizado por Rebecca Mazonson, atingindo uma velocidade de 52 km/h. Rebecca também tem o maior tempo gasto em Zorbing, que é de 3 horas, 49 minutos e 6 segundos.

https://www.instagram.com/p/BNr_nGVFStw/?utm_source=ig_web_copy_link

Agora que você já ficou craque nos esportes radicais, experimente saber sobre a cafeína anidra, substância muito consumida por atletas de alto nível que desejam mais concentração e foco.

Endereços Eletrônicos utilizados como Fontes de Pesquisa Data da Pesquisa Horário (Brasília)
https://sportsmatik.com/matik-sports-corner/sports-know-how/ice-climbing 17/04/2019 10h01
https://www.theuiaa.org/ice-climbing/about-ice-climbing/ 17/04/2019 10h14
https://www.fis-ski.com/en/freestyle-freeski 17/04/2019 10h30
https://blog.theclymb.com/out-there/6-freestyle-skiers-who-are-pushing-the-limits-of-the-sport/ 17/04/2019 10h32
https://video.nationalgeographic.com/video/ng-adventure/00000144-0a29-d3cb-a96c-7b2d40ed0000 17/04/2019 10h34
https://www.skiresort.info/ski-resorts/ 17/04/2019 10h35
https://blog.theclymb.com/out-there/6-freestyle-skiers-who-are-pushing-the-limits-of-the-sport/ 17/04/2019 10h48
https://imbacanada.com/freeriding/ 17/04/2019 10h56
https://gripped.com/gripped-outdoors/watch-new-slackline-world-record-2-8-kilometres/ 17/04/2019 12h03
https://gripped.com/news/canadas-longest-slackline-is-rigged-in-squamish/ 17/04/2019 12h05
https://www.oneinchdreams.com/slackline-world-records 17/04/2019 12h24
https://wnyskydiving.com/blog/skydivers-happiest-people-world/ 17/04/2019 14h22
https://www.churchofslacklife.com/?page_id=20 17/04/2019 14h24
https://www.tripsavvy.com/what-is-cliff-diving-34571 17/04/2019 15h19
http://www.taoswintersportsteam.com/news/what-is-big-mountain-skiing 17/04/2019 15h29
https://www.skimag.com/athletes/chris-davenport-joins-sweet-protection 17/04/2019 15h36
https://www.adventuresportsnetwork.com/sport/skiing/watch-a-skier-hit-158-mph-on-a-french-slope/ 17/04/2019 15h39
http://www.guinnessworldrecords.com/news/2016/11/guinness-world-records-day-british-thrill-seeker-dunks-biscuit-into-teacup-durin-450757 17/04/2019 16h11
https://en.wikipedia.org/wiki/Running_of_the_bulls 17/04/2019 17h00


Assine nossa
Newsletter